X

Whatsapp Chat

Educação médica continuada na área da Cannabis medicinal

Educação Médica Continuada é uma necessidade em tempos atuais. Temos visto formatos dos mais diversos possíveis sendo utilizados a fim de viabilizar a comunicação em tempos de pandemia. Todos os formatos, sejam cursos em EAD, lives, webinares, cursos online de curta ou longa duração e até o presencial, vieram para somar e, cada qual tem a sua importância no aprendizado.

Especialistas e profissionais médicos são unânimes ao apontar que o fator-chave para renovar o conhecimento e ser competitivo é a atualização constante. A informação médica muda numa tal velocidade que pode gerar insegurança nos profissionais, os quais passam a ter dificuldade não só para acompanhar as mudanças, mas para selecionar as fontes confiáveis e as informações relevantes para efetivamente incorporá-las à sua prática.

Em se tratando de Cannabis medicinal, levar informações seguras para a comunidade médica é de fundamental importância para desmistificar a terapêutica canabinoide. A capacitação médica é o primeiro passo para um tratamento confiável e eficaz.

Vamos juntos refletir sobre o quão valioso é o tema Educação Médica Continuada no tratamento com Cannabis?

A primeira situação que implica na necessidade de garantir a boa qualificação médica nesse campo está relacionada à expansão do mercado. Cada vez mais temos constatado o crescimento do mercado de Cannabis no Brasil. Podemos medir essa evolução pelos números fornecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Fonte: Anvisa – novembro de 2020): em 2018, 3599 prescrições haviam chegado para a Anvisa solicitando algum produto derivado de Cannabis, enquanto que em 2019, o número chegou a 8870 prescrições; até a conclusão de 2020, espera-se um número próximo de 18 mil prescrições. Dessa forma, caracteriza-se um crescimento de cerca de 200 a 300% ao ano.

Estamos diante de uma expansão acelerada da utilização de produtos de Cannabis associado ao aumento do número de prescrições médicas. O mercado tem crescido devido à busca do produto pelo paciente e a própria necessidade do médico pela informação fundamental para a prescrição.

Em texto anterior (leia aqui), destaquei o quanto os pacientes têm sido os protagonistas desse cenário. Ao lerem sobre o assunto ou constatarem, a olhos vistos, que um ente querido se recuperou de terríveis sintomas ocasionados por doenças crônicas, os pacientes têm questionado seus médicos acerca das possibilidades de tratamento com o produto. O questionamento e o desejo do paciente pelo uso dos canabinoides movem os médicos a buscar conhecimento para que possa dar um feedback para os seus pacientes.

Por outro lado, uma grande parcela dos médicos das mais diversas especialidades acompanha as alternativas terapêuticas do mercado e, em busca de informações da literatura científica, anseiam pela possibilidade de prescrever os produtos de Cannabis medicinal.

Até aqui você já percebeu que a maior demanda de profissionais médicos interessados no tema implica em maior alcance de informação e, em se tratando de saúde de milhares de pacientes, é imprescindível que a informação seja de qualidade, verdadeira e acurada. Os responsáveis pela veiculação dessas informações são, fundamentalmente, as empresas do ramo de Cannabis e os que se colocam como experts no assunto. Ambos devem estar muito bem preparados.

Então, o que seria uma boa Educação Médica Continuada no tratamento com Cannabis?

É aquela que prega uma ideia com base em conteúdo robusto, ou seja, que considera a informação científica pré-clínica (experimentos com animais, com células isoladas ou tecidos) e clínica (com seres humanos) sempre com o olhar ético que vincula a boa indicação ao bom diagnóstico.

Os cursos da HempMeds (como o último ocorrido em outubro, online e gratuito), alicerçados nessas premissas, mostram a base da ciência por trás da planta, o funcionamento do sistema endocanabinoide e as evidências com seus valores. Deixam claro que não há necessidade de certificado e/ou diploma específico para a prescrição de canabinoides e claramente, a empresa não compactua com a falsa imagem de panaceia (de a planta cura toda e qualquer doença “desde unha encravada até queda de cabelo”).

E esse é justamente o segundo ponto fundamental a ser considerado como influência na Educação Médica no tratamento com Cannabis.

São as diferentes formas com que as marcas do setor vêm trabalhando com as informações para garantir a sua fatia de mercado. O fato é que muitas iniciativas ditas “educativas” voltadas à classe médica têm se mostrado equivocadas nesse ano de 2020. Falta transparência na comunicação e no propósito.

Acompanhamos na mídia diferentes projetos com o objetivo de promover a educação médica, porém, o que se viu, em muitos casos, foram estratégias comerciais vinculadas à ideia de que os canabinoides “fazem curas milagrosas”.

Meu papel aqui é chamar a sua atenção para que, nas mídias, você procure identificar as que são legítimas pelo seu conteúdo fundamentado na literatura médico-científica.

O compromisso da HempMeds é com a divulgação e incentivo da correta prescrição baseada em evidências científicas que se tem até esse momento. Reforço que a medicina baseada em produtos derivados da Canabis nada mais é senão que a possibilidade de acessar uma nova categoria de medicamentos a serviço da comunidade médica.

Ainda mais, a HempMeds mantém uma equipe de profissionais da saúde e médicos disponíveis para auxiliar o prescritor em suas dúvidas sejam elas em como prescrever corretamente, as resoluções atuais da Anvisa que impactam nos trâmites de prescrição/aquisição dos produtos de Cannabis, prescrição em casos específicos, indicações de literatura médica compatível, cálculo da dose diária, disponibilização do uso da calculadora de prescrição e muito mais.

Parceria entre Universidade e empresa também é o foco da HempMeds, pois somente alinhada com pesquisadores e engajada na ciência, a empresa faz a diferença na qualidade da informação.

 

Leia mais:

8 descobertas sobre o canabidiol, o CBD

Conheça as principais patologias tratadas com Cannabis medicinal

Dr. Elisaldo Carlini: quem foi e seu legado na ciência canábica

Os principais marcos da Cannabis medicinal no Brasil

 

 

Escrito por Dra. Adriana Grosso

Medical Science Liaison, MSL, da HempMeds,

 

 

Gabriel Barbosa

Supervisor de P&D da HempMeds,

 

 

 

Dr. Renato Anghinah,

Chief Medical Officer, CMO, da HempMeds,

 

 

 

Dr. Rubens Wajnsztejn,

Chief Medical Officer, CMO, da HempMeds