X

Whatsapp Chat

Dúvidas Frequentes

O uso dos produtos de Cannabis medicinal é legal no Brasil?

Sim. Hoje, além dos pedidos de importação, a Anvisa também regulamenta a fabricação em território nacional e a venda em farmácias e drogarias.

Qual produto de Cannabis eu devo comprar?

Sempre consulte um médico especialista para descobrir a dose adequada ao seu tratamento. O médico é o único profissional indicado para a prescrição.

O paciente vai se sentir “alterado” se utilizar os produtos?

Depende. Produtos de Cannabis podem ser ricos em dois compostos diferentes, o THC e o CBD. Produtos ricos em CBD não farão com que o paciente sinta os efeitos relacionados ao uso adulto da planta. No entanto, a administração de um produto com maiores níveis de THC pode apresentar efeitos leves.

Os produtos podem gerar dependência química?

Depende. Não há indícios de que o CBD possa causar dependência química. Por outro lado, embora também tenha efeitos terapêuticos, o uso constante de doses maiores de THC pode gerar dependência, sendo um dos motivos pelos quais ainda há mais restrições de prescrição para estes produtos.

Os produtos podem apresentar reações adversas?

Sim. Embora os canabinoides sejam considerados moléculas seguras, produtos de Cannabis podem apresentar efeitos adversos distintos e geralmente leves, que variam conforme o teor de cada um dos principais componentes mencionados anteriormente. O profissional médico deve orientar o paciente com relação às possíveis adversidades da escolha terapêutica para cada caso.

É melhor administrar os produtos com alimentos?

Sim. Para que você tenha uma melhor e mais rápida absorção dos canabinoides, o mais indicado é administrá-los com alimentos com “triglicerídeos de cadeia média”, encontrados em grandes quantidades nos óleos de coco e de palma.

Como o paciente deve armazenar os produtos?

Os produtos líquidos e em cápsulas podem ser armazenados em temperatura ambiente e ao abrigo de luz, calor e umidade excessivos. Já os produtos pastosos, dispostos em aplicador oral, devem ser armazenados em geladeira após abertos para manter a consistência do produto no momento da coleta.

Qualquer especialidade médica pode prescrever os produtos?

Sim. A Anvisa não avalia o exercício profissional, de modo que não haja restrição para qualquer especialidade médica prescrever os produtos. Basta que o médico tenha CRM ativo e a documentação esteja correta.

Para quais patologias a medicina canabinoide é prescrita?

As principais patologias para as quais têm sido prescritos os produtos de Cannabis são epilepsia, autismo, dores crônicas, Parkinson, Alzheimer, ansiedade, insônia, fibromialgia e câncer. A Anvisa já autorizou a importação para mais de 60 patologias diferentes. Consulte um médico para saber sobre as possibilidades para seu caso.

O paciente precisa fumar para obter os efeitos medicinais?

Não. Você pode administrar os produtos de várias formas para obter os efeitos medicinais, como pela via oral, sublingual, nasal, tópica, entre outras. Os produtos, geralmente, vêm em forma líquida ou em cápsulas.

O paciente pode transportar os produtos em viagem?

Depende. Em viagens nacionais, produtos importados devem ser mantidos em sua embalagem original e estar acompanhados da autorização de importação da Anvisa. A receita médica também pode ser solicitada para conferência de quantidade. Em viagens internacionais, a legislação do país de destino deve ser consultada antes do embarque.

O uso veterinário também é regulamentado?

Não. Até o momento, as resoluções da Anvisa que dispõem sobre a utilização de produtos de Cannabis para fins medicinais referem-se apenas a seres humanos, embora o uso veterinário venha sendo cada vez mais discutido.

O que mais devo saber sobre a HempMeds?

A HempMeds é uma empresa que se preocupa de maneira genuína com você, sua saúde e qualidade de vida. Não é à toa que somos pioneiros nos tratamentos com Cannabis medicinal no Brasil. Temos uma equipe especializada para te atender da melhor forma. Nossa missão é essa: o seu bem-estar! Atuamos de acordo com a legislação brasileira e com as normativas vigentes da Anvisa (RDC nº 327/2019 e RDC nº 335/2020). Entre em contato para mais informações.