X

Whatsapp Chat

Fibromialgia: conhecendo o tratamento com canabinoides

Aposto que você, caro(a) leitor(a), já ouviu falar de fibromialgia. Já sabe que é uma síndrome – um estado de saúde complexo e heterogêneo – que se caracteriza por dor muscular crônica que atinge uma ampla extensão do corpo e atrapalha muito o dia a dia de quem a possui, tirando a disposição para as tarefas diárias e reduzindo toda e qualquer qualidade de vida, pois ninguém gosta ou quer sentir dor.

Possivelmente você não conheça os números da doença, como o fato dela ser frequente na população brasileira, estando presente em cerca de 2% a 3% das pessoas. Atinge ambos os sexos, acometendo mais mulheres que homens (aproximadamente 8:1) e costuma surgir entre os 30 e 55 anos, porém, existem casos em pessoas mais velhas e também em crianças e adolescentes.

Talvez você ainda não saiba que o diagnóstico da fibromialgia é exclusivamente clínico, ou seja, está dependente do conhecimento e da avaliação do médico. Em média, o diagnóstico final da doença pode estender-se por até alguns anos, pois, além da dor, é importante avaliar a gravidade dos outros sintomas como fadiga, distúrbios do sono, do humor, da cognição e o impacto destes sobre a qualidade de vida do paciente. O sono não reparador determina que o paciente acorde sentindo-se tão cansado quanto antes de dormir e pode também ocorrer a interrupção do ciclo de sono com prejuízos para a sua retomada (insônia terminal) em consequência da intensificação dos quadros dolorosos. Junto à vivência dolorosa e os distúrbios do sono da fibromialgia somem-se os prejuízos das relações de sociabilidade como distúrbios do humor, ansiedade e quadro depressivo. Outra possibilidade é a associação da fibromialgia com outras doenças endócrinas como o hipotireoidismo.

Teorias acerca dos mecanismos originários da doença mais aceitas atualmente envolvem um desequilíbrio entre percepções dolorosas e os mecanismos de modulação de vias aferentes, nervos condutores do sinal doloroso até o cérebro. Contudo, explicações multicausais, incluindo mecanismos psicossociais, estão descritos na literatura médica.

Uma combinação de tratamentos medicamentoso e não medicamentoso é recomendada a fim de reduzir ao máximo os sintomas. Há analgésicos, relaxantes musculares, neuromoduladores e antidepressivos, além de outros fármacos recomendados associados ao exercício musculoesquelético aeróbico, alongamento, fortalecimento muscular, reabilitação, aliados ou não a um suporte psicoterápico. Cada caso é um caso e somente o médico poderá direcionar o tratamento mais adequado. A meta é aliviar os sintomas. A fibromialgia não traz deformidades ou sequelas nas articulações e músculos, mas os pacientes apresentam uma má qualidade de vida.

Medicina canabinoide

É exatamente aí, com foco na qualidade de vida, que os Produtos Medicinais de Cannabis vêm sendo utilizados na esperança de bons resultados para os fibromiálgicos.

A literatura científica mostra a teoria de que em determinadas condições clínicas, e a fibromialgia é uma delas, o Sistema Endocanabinoide – sistema que mantem o equilíbrio funcional do corpo, regulando todos os demais, especialmente o Sistema Nervoso Central (SNC) e Periférico (SNP) – está descompensado, apresentando uma funcionalidade aquém do normal. Isso é verificado quando se quantifica uma substância produzida por ele que é a Anandamida. Então, todos nós necessitamos de uma quantidade equilibrada de Anandamida circulante para que as funções orgânicas se mantenham em estado saudável. No estado de fibromialgia, a quantidade de Anandamida, segundo essa teoria, estaria em deficiência, por isso a instalação e a permanência da doença.

A fim de resgatar o organismo da doença e trazê-lo para a homeostase (equilíbrio funcional), a recuperação seria através do uso de fitocanabinoides como o Canabidiol (CBD) aliado ao Tetraidrocanabinol (THC), presentes em produtos de Cannabis. Diretrizes europeias, americanas e brasileiras recentes recomendam que o tratamento para a fibromialgia deve focar o alívio da dor e da fadiga, tornar o sono mais produtivo e resgatar a qualidade de vida.

Evidências recentes sugerem os Produtos Medicinais de Cannabis como efetivos na terapia para fibromialgia. Seus fitocanabinoides interagem com o SNC através de proteínas receptores instaladas nas membranas celulares e moléculas sinalizadoras, produzindo efeitos analgésicos.

Acompanhe comigo alguns resultados recentes de pesquisas envolvendo pacientes portadores de fibromialgia e tratamento com fitocanabinoide: o primeiro ensaio randomizado, duplo-cego e controlado por placebo utilizou o medicamento Nabilona – Cesamet, EUA – um canabinoide sintético com base em THC. O grupo de tratamento (20 pacientes) apresentou reduções significativas da dor e ansiedade. Num segundo ensaio randomizado, cruzado comparando a Nabilona com o medicamento amitriptilina mostrou que o derivado de Cannabis foi superior quanto à melhora da qualidade do sono de pacientes com fibromialgia e insônia crônica, mas ineficaz quanto à melhora nos quesitos dor, humor ou qualidade de vida.

No Brasil, um ensaio clínico duplo-cego, randomizado e controlado por placebo foi conduzido durante 8 semanas a fim de determinar o benefício de óleo de Cannabis rico em THC sobre sintomas e qualidade de vida de 17 mulheres com fibromialgia na cidade de Florianópolis/SC. O grupo de tratamento descreveu melhoras significativas na dor, fadiga e qualidade de vida (avaliado pelo escore de FIQ – questionário direcionado à análise do tratamento da fibromialgia) e no grau da depressão.

Estudos observacionais recentes também têm trazido resultados como o realizado com 102 pacientes consecutivos com fibromialgia sob tratamento convencional analgésico mais extrato de óleo de cannabis. O grupo de tratamento afirmou ter melhorado em 44% nos sintomas gerais de fibromialgia (escore de FIQ) e 33% com relação à qualidade do sono.

Em um grande estudo israelense (367 pacientes fibromiálgicos entrevistados) com 6 meses de duração, a análise mostrou segurança e eficácia dos produtos de Cannabis. A intensidade da dor passou da mediana de 9 para 5 e 81% afirmaram ter atingido o objetivo do tratamento com ganhos na qualidade de vida.

Em recente publicação (2021), 38 pacientes italianos portadores de fibromialgia (36 mulheres:2 homens), em média com 56 anos de idade e resistentes ou intolerantes às medicações convencionais (tais como Tramadol, Amitriptilina, Duloxetina e Pregabalina) receberam Cannabis Medicinal em óleo como terapia adjuvante por até 1 ano. Os resultados mostraram que o tratamento com Cannabis Medicinal foi eficaz na redução da intensidade da dor; aproximadamente metade dos pacientes relatou eficácia com 34% optando por continuar a terapia. Confusão mental foi descrita inicialmente, mas desapareceu após a continuidade do tratamento. Não houve melhora quanto à ansiedade e depressão.

O uso de Canabinoides no tratamento da fibromialgia vem se destacando, mas ainda está distante de trazer resultados homogêneos e decisivos. O importante é ficarmos de olho em mais e mais pesquisas para conhecer todo o seu potencial.

Me acompanhe!!!

 

adriana-mslEscrito por Dra. Adriana Grosso

Medical Science Liaison, MSL, na HempMeds Brasil.

 

 


Estudos consultados:

  1. de Miquel CA, Campayo J, Flórez MT, Arguelles JM, Tarrio EB, Montoya MG, Martin Á, Salio AM, Fuentes JV, Alberch EA, de la Cámara AG. Interdisciplinary consensus document for the treatment of fibromyalgia. Actas Esp Psiquiatr. 2010 Mar-Apr;38(2):108-20. PMID: 21361054.
  2. Amaral e Castro A, Kitanishi LK, Skare TL. Fibromialgia no homem e na mulher: estudo sobre semelhanças e diferenças de gênero. Arquivos Catarinenses de Medicina 40, no . 2, de 2011
  3. Russo EB. Clinical Endocannabinoid Deficiency Reconsidered: Current Research Supports the Theory in Migraine, Fibromyalgia, Irritable Bowel, and Other Treatment-Resistant Syndromes. Cannabis Cannabinoid Res. 2016 Jul 1;1(1):154-165. doi: 10.1089/can.2016.0009. PMID: 28861491; PMCID: PMC5576607.
  4. HEYMANN, Roberto E. et al.Novas diretrizes para o diagnóstico da fibromialgia.  Bras. Reumatol. [online]. 2017, vol.57, suppl.2 [citado  2021-05-09], pp.s467-s476. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0482-50042017000800006&lng=pt&nrm=iso>. ISSN 1809-4570.  https://doi.org/10.1016/j.rbre.2017.07.002.
  5. Berger AA, Keefe J, Winnick A, Gilbert E, Eskander JP, Yazdi C, Kaye AD, Viswanath O, Urits I. Cannabis and cannabidiol (CBD) for the treatment of fibromyalgia. Best Pract Res Clin Anaesthesiol. 2020 Sep;34(3):617-631. doi: 10.1016/j.bpa.2020.08.010. Epub 2020 Aug 15. PMID: 33004171.
  6. Chaves, C. et al. “Ingestion of a THC-Rich Cannabis Oil in People with Fibromyalgia: A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Clinical Trial.” Pain Medicine: The Official Journal of the American Academy of Pain Medicine21 (2020): 2212 – 2218.
  7. Mazza M. Medical cannabis for the treatment of fibromyalgia syndrome: a retrospective, open-label case series. J Cannabis Res. 2021 Feb 17;3(1):4. doi: 10.1186/s42238-021-00060-6. PMID: 33597032; PMCID: PMC7890993.
  8. Fibromialgia Cartilha para pacientes. Sociedade Brasileira de Reumatologia. Copyright­SBR- Comissão de Dor, Fibromialgia e Outras Síndromes Dolorosas de Partes Moles, 2011.