X

Whatsapp Chat

Preparando-se para envelhecer bem: a Cannabis com fins medicinais pode ajudar?

A gente sempre acha que vai “começar” a envelhecer quando alcançar os 60 ou 70 anos. 

“- Com essa idade vou me permitir deixar os cabelos brancos (volta e meia me pego nesse pensamento torto!) e daí serei velho(a).” Doce ilusão! Envelhecemos dia a dia, sem perceber, ou percebendo em alguns poucos momentos, quando notamos aquela ruga que não existia antes ou quando sentimos dor ao executar determinado movimento. Confiamos que o envelhecer está lá longe, em parte, porque contamos com os avanços da medicina e de todas as facilidades dos dias de hoje.

A trajetória do envelhecimento mudou muito entre os séculos 20 e 21. No passado, víamos os mais idosos, que não eram tão longevos como hoje, serem acolhidos e mantidos reclusos por suas respectivas famílias até o seu último suspiro.  Os novos ares do século 21 vêm trazendo grupos de idosos mais independentes, que querem trilhar o seu caminho e aproveitar muito mais intensamente a vida estendida aos 90 ou até aos 100 anos. Não só desejam sua liberdade, como a querem com muita saúde e rica em experiências. 

Então, se envelhecer é um processo acumulativo de experiências boas e ruins ao longo da vida somado à genética que recebemos e esse processo deixa marcas no nosso corpo e em nossa mente, gerando, por vezes algumas doenças, por que não cuidar desse processo de envelhecimento olhando para o que nos marca positivamente e desde cedo? Que tal começar já?

Há muitas formas de decidir pela vitalidade futura iniciando o processo agora mesmo, independentemente da idade biológica que você tenha: 23, 34, 78 ou muitos mais.

O primeiro passo é manter o aprendizado! A aquisição de conhecimento deve ser contínua, deve ser para a vida. Se você não vai atrás do conhecimento, a tecnologia te atropela e daí você deixa de viver em sociedade e deixa de acompanhar o desenvolvimento. A cada novo aprendizado, e não estou dizendo somente aprendizado teórico apenas, mas executar um novo passo de dança, iniciar uma nova profissão, mudar o foco do pensamento, tudo isso faz com que você reconecte os mesmos neurônios de formas diferentes, criando miríades de informações. 

O segundo passo, que de certa forma está atrelado ao conhecimento, é sociabilizar, participar do mundo com os outros, é não ficar só. O isolamento trazido pela pandemia de Covid mostrou o quanto o isolamento é prejudicial, independentemente da idade. O isolamento traz doenças mentais, ansiedade, alterações de sono, preocupações, alterações de memória e interfere no que de mais preciso temos, a nossa saúde.

E cuidar da saúde é recomendação “prá ontem’! Estar com a saúde em dia é precaver-se de muitos males e/ou tratar doenças existentes; esses são os focos principais quando se pensa no uso dos Produtos de Cannabis com fins Medicinais.  Se você leu a informação de que esses Produtos são utilizados para tratamento de doenças neurológicas onde ocorrem convulsões, saiba que o campo das pesquisas pré-clínicas (com cultura de células e animais) e clínicas (aplicadas aos seres humanos) vêm reunindo esforços para conhecer cada vez mais as propriedades ligadas à prevenção de doenças e ganho de qualidade de vida.

O Sistema Endocanabinoide (SEC) é um dos controladores do nosso bem-estar físico e mental. É através de uma rede de sinalizadores e proteínas receptoras que o SEC resgata a nossa saúde e equilíbrio instante a instante. Algumas doenças surgem da falha do SEC e é por isso que os fitocanabinoides presentes nos Produtos Medicinais de Cannabis podem ser potentes e eficazes opções terapêuticas com poucos efeitos colaterais. Já é possível aliviar a dor crônica de várias origens, deixar o sono mais restaurador, reduzir a depressão e a ansiedade do dia a dia com os Produtos de Cannabis.

Envelhecemos pouco a pouco a cada dia. Isso é fato! Mas você vai dispensar a oportunidade de fazê-lo com qualidade? Celebre a vida e extraia dela o que há de melhor, é simples: aprendizado constante e sempre ter companhia. Dê um chega prá lá na solidão.

adriana-mslEscrito por Adriana Grosso

Medical Science Liaison, MSL, na HempMeds Brasil.

 

 


Estudos consultados:

  1. Morena M, Patel S, Bains JS, Hill MN. Neurobiological Interactions Between Stress and the Endocannabinoid System. Neuropsychopharmacology. 2016 Jan;41(1):80-102. doi: 10.1038/npp.2015.166. Epub 2015 Jun 12. PMID: 26068727; PMCID: PMC4677118.
  2. Whiteford, H.; Ferrari, A.J.; Degenhardt, L.; Feigin, V.; Vos, T. Chapter 2 Global burden of mental, neurological and substance use disorder: An analysis from the global burden of disease study 2010. In Mental, Neurological, and Substance Use Disorders: Disease Control Priorities, 3rd ed.; Patel, V., Laxminarayan, R., Medina-Mora, M.L., Dua, T., Chisholm, D., Eds.; The International Bank for Reconstruction and Development: Washington, DC, USA, 2016; Volume 4.
  3. Navarrete, F.; Garcia-Gutierrez, M.S.; Jurado-Barba, R.; Rubio, G.; Gasparyan, A.; Austrich-Olivares, A.; Manzanares, J. Endocannabinoid System Components as Potential Biomarkers in Psychiatry. Psychiatry 2020, 11, 315. [CrossRef]
  4. World Health Organization. Mental Health Policies and Programmes in the Workplace; World Health Organization: Geneva, Switzerland, 2005
  5. Zuardi AW, Shirakawa I, Finkelfarb E, Karniol IG. Action of cannabidiol on the anxiety and other effects produced by delta 9-THC in normal subjects. Psychopharmacology (Berl). 1982;76:245-50.
  6. Schier, ARM et al. Cannabidiol, a Cannabis sativa constituent, as an anxiolytic drug. Brazilian Journal of Psychiatry [online]. 2012, v. 34, suppl 1 [Acessado 14 Julho 2021] , pp. 104-110. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1516-44462012000500008>. Epub 19 Jun 2012.
  7. Karniol, I.G.; Shirakawa, I.; Kasinski, N.; Pfeferman, A.; Carlini, E.A. Cannabidiol interferes with the effects of delta 9 – tetrahydrocannabinol in man. J. Pharm. 1974, 28, 172–177.
  8. García-Gutiérrez MS, Navarrete F, Gasparyan A, Austrich-Olivares A, Sala F, Manzanares J. Cannabidiol: A Potential New Alternative for the Treatment of Anxiety, Depression, and Psychotic Disorders. Biomolecules. 2020;10(11):1575.
  9. Masataka N. Anxiolytic Effects of Repeated Cannabidiol Treatment in Teenagers With Social Anxiety Disorders. Front Psychol. 2019;10:2466.
  10. Allsop, D.J.; Copeland, J.; Lintzeris, N.; Dunlop, A.J.; Montebello, M.; Sadler, C.; Rivas, G.R.; Holland, R.M.; Muhleisen, P.; Norberg, M.M.; et al. Nabiximols as an agonist replacement therapy during cannabis withdrawal: A randomized clinical trial. JAMA Psychiatry 2014, 71, 281–291.
  11. Gruber, S. NCT02548559. Sublingual Cannabidiol for Anxiety. Available online: https://clinicaltrials.gov/ct2/ show/NCT02548559 (accessed on 19 November 2020).
  12. Gruber, S.; Mclean Hospital. NTC04286594. A Clinical Trial of a Hemp-Derived Cannabidiol Product for Anxiety. Available online: https://clinicaltrials.gov/ct2/show/NCT04286594 (accessed on 19 November 2020).
  13. McMaster University. NCT03549819. Cannabidiol for the Treatment of Anxiety Disorders: An 8-Week Pilot Study. Available online: https://clinicaltrials.gov/ct2/show/NCT03549819 (accessed on 19 November 2020).
  14. CB2 Insights. NCT04267679. Cannabidiol for Anxiety. Available online: https://clinicaltrials.gov/ct2/show/ NCT04267679 (accessed on 19 November 2020)

LEIA MAIS CONTEÚDOS:

Atletas e Cannabis com fins medicinais