X

Whatsapp Chat

Uma opção de tratamento

Ainda há muito o que se descobrir sobre o potencial do uso da Cannabis para benefício da nossa saúde. Contudo, cada vez mais estudos nacionais e internacionais são realizados, atestando os aspectos positivos do uso do óleo de Canabidiol (CBD), e de outros canabinoides extraídos da planta.

Apesar do uso dos produtos de Cannabis não ser exclusivo para combate a algumas doenças de difícil tratamento, no Brasil esta é a principal aplicação, necessitando receita médica e autorização da Anvisa.

Entre as patologias mais comuns tratadas com Cannabis Medicinal, as principais são: Epilepsia, Ansiedade, Parkinson, Dor Crônica, Autismo, Depressão, Demência, Câncer e Alzheimer. Mas os benefícios vão muito além, contribuindo também em quadros de distúrbios do sono, recuperação muscular, estimulação de apetite, espasticidade, entre outras condições. De acordo com a Anvisa, médicos de mais de 40 especialidades distintas já tiveram seus pacientes autorizados a importar os produtos, somando centenas de diferentes doenças descritas de acordo com a Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde.

 

O que são produtos de Cannabis?

Os produtos são preparações obtidas a partir das plantas da espécie Cannabis sativa. Estes extratos são ricos em diversos tipos de substâncias, com destaque aos fitocanabinoides.

Eles compõem um grupo de moléculas encontradas principalmente na Cannabis e que são capazes de interagir e modular o que chamamos de Sistema Endocanabinoide.

São mais de 145 fitocanabinoides já descobertos pela ciência, mas dois deles se destacam por seus potenciais de tratamento: o CBD (canabidiol) e o THC (tetrahidrocanabinol), que podem representar até 30% do peso seco das inflorescências da planta (onde são encontradas as flores).

Cannabis, cânhamo ou maconha?

Para entender melhor a diferença entre os termos, vamos comparar com animais, por exemplo, os cachorros. Conhecemos diferentes tipos, formas, tamanhos, cores de cachorros, no entanto, todos são da mesma espécie. Quase a mesma coisa acontece com o cânhamo e a maconha: eles pertencem à mesma espécie, Cannabis sativa L., mas apresentam uma diferença fundamental em sua composição química.

O THC provoca efeitos mentais e psíquicos. Já o CBD não tem os mesmos efeitos, não causando o “barato” associado ao uso adulto da planta, além de não causar dependência. Porém, ambos possuem efeitos terapêuticos distintos que vem sendo cada vez mais demonstrados pela ciência.

O termo cânhamo é geralmente adotado para plantas com níveis quase ínfimos (cerca de 0,3%) de THC, a substância que “dá barato”. Já a maconha é um termo adotado para plantas com níveis de THC acima desse limite.

Para evitar confusões, é de costume usar o termo genérico “Cannabis” para falar das plantas como um todo. Mais fácil, não acha?